Há quem ame, quem não goste, quem não se incomoda e até quem faz questão de ter ou não ter, mas de um jeito ou de outro, durante o processo de organização de um casamento, ele, em algum momento vai aparecer. Nem que seja através de uma simples pergunta: “Vai usar véu?”

Pois é. O véu pode ser visto como um complemento do look do grande dia, ou seja, ele pode compor, completar e fechar o visual total da noiva ou pode, simplesmente, ser visto como um assessório, algo que pode ou não ser relevante para esse momento tão mágico.

Mas… De onde veio essa história de véu? Acredita-se que a origem está na Grécia antiga e era usado como símbolo de pureza e nobreza. Alguns acreditavam que ele servia para “espantar” mal olhado e até proteger do sol. Seja como for, o véu é assunto certo quando a questão é o visual da noiva. Sempre feitos em tule ou renda, eles são sinônimo de sofisticação e alta classe.

E você conhece os estilos de véus que existem por aí? Não? Então venha comigo que falo tudo pra você decidir se usa ou não e, se for usar, conheça qual estilo combina mais com contigo.

LONGOS: São os clássicos. Eles variam muito de tamanho, mas para ser considerado um véu longo, no mínimo 2,5 mt. Na média, chega até 6 mt, mas nada impede da noiva desejar um véu ainda maior. Seu sonho é seu limite!

CURTOS: Aqueles que vão até a altura do cotovelo. Esse tipo de véu é bem complicado quando o assunto é “combinação com o vestido” e também com a altura da noiva e formato facial. Há especialistas no assunto que dizem: “ Se for pra usar véu curto, melhor não usar” como é o caso da estilista Carol Hungria. Mas vale sempre aquele conselho: O casamento é seu e só você pode decidir o que gosta e o que lhe faz se sentir bem.

VOILLETS: Esse acessório é um charme. Tem um “Q” de família real, sabe? De fim de tarde em Londres… Sei lá… Eu gosto, mas deve ser usado em situações bem específica como casamentos diurnos, retrô ou BOHO chic, por exemplo. Alguns cobrem o rosto da noiva por completo, outros apenas uma parte e há ainda os que cobrem apenas a franja. Se esse for seu estilo de casamento, vale a pena usar.

MANTILHAS: Totalmente em renda (ou em tule com muitas aplicações em renda), tipo a que foi usada pela atriz Juliana Paes na novela Gabriela. As mantilhas são uma alternativa para quem quer usar algo longo e chic, mas não pretende usar véu propriamente dito. São feitas de forma artesanal e, por vezes, é um objeto de herança (de mãe para filha). 

BARRADOS: Com acabamento em renda por toda sua extensão das bordas (comprimento e largura), esse tipo de véu é um dos mais solicitados pelas noivas brasileiras.

GRINALDA: Feita em tule, cobre por completo o rosto da noiva e, normalmente seu comprimento é até a cintura, estilo aquela usada pela Duquesa de Cambridge, Kate Middleton. Aconselha-se usar a Grinalda quando a calda do vestido é longa.

BANDANA: Uma proposta bem aberta, sem formalidades. Pode ser decorada com flores, apliques, cristais… A noiva usa amarada à cabeça, semelhante a um lenço. O tamanho se limita, normalmente ao médio e longo.

Deixe uma resposta

Translate »