De acordo com pesquisa do instituto Locomotiva, encomendada e divulgada pela ABRAFESTA (Associação Brasileira de Eventos), o mercado de casamento movimentou R$ 17 bilhões em 2016, sendo que a maior fatia ficou concentrada na região sudeste. O estado de São Paulo movimentou algo em torno de R$ 4,9 bilhões, sendo que R$ 1,4 bilhões concentrou-se na capital.

Anualmente, o Brasil registra 1 milhão de uniões, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que também apontam o crescimento dos recasamentos, ou seja, quando um dos cônjuges, divorciado ou viúvo, decide casar novamente. E esse “casa e recasa” anima e aumenta as cifras em todo país, especialmente no Distrito Federal onde os gastos com festas de casamento é, em média, 174% maior que os gastos em território nacional. No geral, apesar de toda turbulência econômica que o país atravessa, o seguimento de festas cresce algo em torno de  10,4% ao ano.

O Data Folha Popular divulgou pesquisa realizada com 1.400 pessoas e, entre respostas de internautas, noivas, mães de noivas e profissionais de evento, mostrou que os serviços mais contratados são: decoração, entrenimento e alimentação.

A mesma pesquisa também mostrou que, na hora de colher informações sobre produtos e serviços, a internet é a principal via usada pelos os interessados em realizar uma festa. Os blogs se destacam por serem considerados que oferecem informações mais rápidas e atuais que revistas impressas especializadas.

Estima-se que para se realizar uma festa de casamento são contratados de 38 a 42 serviços diferentes. Boa parte desses serviços são prestados por profissionais individuais como maquiador, fotógrafo e mestre de cerimônia, além de pequenas empresam que completam o quadro de contratos.

Apesar de amplo e democrático, o mercado de casamento também oferece riscos para empreender. A associação que representa o setor, ABRAFESTA, faz um alerta: “esse é um mercado muito dinâmico, bastante pulverizado e com concorrência acirrada”. Ou seja, pessoa física ou jurídica que deseja ingressa no ramo, precisa estar bem preparado para oferecer serviços e produtos de qualidade e com diferenciais para conseguir entrar e se manter neste mercado bilionário.

Fonte: Sebrae Mercados | Terra

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Translate »